segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Ex-Palavra ou A Palavra Fora de Si

Uma vez ganhei um concurso com esse poeminha aqui:

EX-PALAVRA
Ou a Palavra Fora de Si


"Cordões com seus nomes pendurados
nada vão resolver
dos teus problemas de identificação."
G. Duchamp

Sendo de natureza inútil,
o meu ser transcendente
e redundante inexplica
inutilmente através delas,
as palavras, não sei quais,
não tão inúteis quanto a mim,
posto que sou elas. Delas.

Elas
que me tentam explicar,
ou justificar-me...

Sendo de natureza difícil
encontrar a junção mais
que correta entre palavras,
petulantemente comparo-me
ao lavor laborial de lapidá-las.

Precisando lapidar-me
- por elas que sou eu -
para tornar-me ao menos
visível, compreensível...
já que penso,

- Se pensar for o suficiente... -

que me explicarei por elas,
as palavras, porque é delas
o que se pode cristalizar.
Cristalizar significados
diversos dos que têm...

Se se pode cristalizá-los...

Para mim, poderei
encontrar-me chaves e razões
ou meras significações,
chavões ou talvez definições,
repetições, diversões
diversos dos que de fato
me compõem...

Se é que se me compõem,
se me componho, por elas
que sou eu e que não sou elas.

Se existo, existo por elas, nelas.
Nestes melindres, ardis e chavões
que sou eu e que delas são.




Internet


Poema premiado em 7o lugar no 3o Concurso de Poesia do Sesc - DF, 2004.
Fernando Medeiros é professor de Literatura.

2 comentários:

  1. Eita, olha quem eu achei!
    Legal seu blog. Visitarei mais.

    Abs,
    Claudia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obg!!
      Venha sempre e será sempre bem-vinda!
      ;p

      Excluir